domingo, 3 de janeiro de 2010

Gafe? Desculpas? A diarréia de Boris Casoy

Asco, nojo, ojeriza. Eu senti ânsia de vômito quando assisti a esse vídeo repugnante. Boris Casoy revela o seu pensamento sobre os trabalhadores do serviço de limpeza da cidade. Pensei imediatamente em escrever um artigo sobre o caso, mas acabei enrolando. De hoje não passaria, ainda mais depois de ver aquilo que foi veiculado sobre o assunto nos principais jornais do país. “Bóris passa por uma saia justa”, “o âncora do Jornal da Band se desculpa pela gafe”, foi o que disseram a maioria das matérias que li sobre o assunto. Ora!! Façam-me o favor!!! Esse asqueroso episódio foi só um vazamento daquilo que o tal apresentador realmente pensa sobre a categoria de trabalhadores responsáveis por limpar a cidade onde ele vive e onde com certeza produz muito lixo.

Foi de uma vulgaridade que talvez tenha sido inédita na televisão brasileira. Eu pelo menos tentei aqui e não consegui me lembrar de um comentário tão pesado quanto esse, pelo conjunto de características que carrega. Estamos acostumados às distorções e deturpações da mídia quando se fala em MST, em cotas para segmentos que sofrem com desigualdades étnico-raciais ou de classe, movimento estudantil, outros movimentos sociais... enfim, é comum ver a mídia enviesando os fatos para favorecer seus patrões ou financiadores. Mas o caso de Boris é extremamente mais grave. Isso porque está carregado de muito mais elementos do que o velho preconceito de classe que geralmente vem maquiado. Foi um comentário extremamente covarde contra dois cidadãos simples, humildes, que, no exercício do trabalho, foram interpelados por um repórter que teve a idéia (excelente) de projetar suas vozes para o Brasil inteiro expressando o desejo de um ano novo feliz. Foi muito mais covarde do que as mentiras que a mídia dissemina sobre a classe trabalhadora em movimento. E não chega nem ao nível do preconceito incrustado na sociedade, como é comum de se ouvir, discriminação contra prostitutas, mendigos, bêbados de rua e etc. Foi a ridicularização de um segmento muito honrado da classe trabalhadora destilada igual veneno burguês, de um tapado que não consegue enxergar que aqueles trabalhadores limpam a sujeira que ele mesmo produz.

Olha só o conteúdo dessa verdadeira diarréia verbal: “Que merda.. (risos) Dois lixeiros desejando feliz natal... do alto das suas vassouras.. Dois lixeiros... (risos) O mais baixo da escala do trabalho...” Isso até finalmente ser interrompido por um funcionário do jornal. (Sem contar o erro de concordância) O peso dessas palavras está justamente no que se pode perceber de imediato: Por que isso? Por que é que foi uma “merda”? O que foi que eles fizeram a você ou à sociedade, Boris?

Além de tudo, o apresentador ainda comete um erro de tremenda estupidez. Classificar os trabalhadores da limpeza como sendo “o mais baixo da escala do trabalho”(sic) revela a total ignorância desse apresentador que não se contenta com sua função de âncora, e banca o comentarista de quinta categoria de toda notícia que passar no programa, e assim quer formar a opinião da população brasileira que assiste o jornal. De onde esse asqueroso tirou essa ‘escala do trabalho’? Além disso, vamos testar essa estúpida escala pra vermos. É simples: vamos imaginar o que seria de São Paulo ou do Distrito Federal sem os serviços prestados por esses trabalhadores por uma semana. Não preciso nem comentar. Agora, pra tirar a prova dos nove da estupidez do apresentador, eu proponho: vamos imaginar como seria o bem vindo ano de 2010 sem os infelizes comentários de Boris Casoy?

Pra piorar a nossa situação, todos os jornais que eu tive acesso traziam a matéria de uma forma que, pra mim, se fundamenta no corporativismo. “Boris Casoy pede desculpas pela gafe cometida contra garis no jornal”. Façam uma pesquisa no google, todas as manchetes estão dessa forma. Agora é o que? Boris Casoy é um coitadinho que cometeu um ‘deslize’? É claro que não. No que depender de mim, vai estar evidente pra qualquer um que as palavras de discriminação proferidas pelo apresentador foram sinceras, de caso pensado, e que sem querer vieram a público, humilhando toda uma categoria de trabalhadores em cadeia nacional. É lamentável o corporativismo descarado que quer botar panos quentes em algo tão asqueroso.

Mas se tem uma coisa que não pode passar desapercebida em toda podridão é a dimensão criminosa dos comentários de Boris. Não foi uma gafe, não foi ‘infeliz’, não foi ‘saia justa’ e nem qualquer outro eufemismo. O que foi dito configura-se um crime, injúria, difamação, que causaram danos morais à imagem daqueles dois homens - e mais do que apenas a eles, foi uma ofensa imensurável à imagem de toda uma categoria de trabalhadores, presentes no Brasil e no mundo inteiro.

Eu juro a vocês que quando fui pesquisar o assunto na internet, eu já esperava encontrar todo um rebuliço no sentido de processos contra Boris na Justiça. Pois por esse é o caminho que essa história precisa seguir a partir de agora. Ah se isso fosse com os assistentes sociais...

Mas pra não deixar de fazer a minha parte, mesmo não sendo um gari, eu encaminhei uma cópia desse texto a alguns endereços de sindicatos de trabalhadores de asseio, limpeza e conservação urbana que consegui, na tentativa de muni-los com uma perspectiva crítica de todo esse lastimável episódio, e de encorajá-los a tomar essa decisão de processar o apresentador preconceituoso pelo crime que cometeu.


“Isto é uma vergonha” ??? Não!! Isto é Falta de vergonha! E mais que isso: é um crime mesmo!


Esse fato é o típico fato bombástico de rolar cabeças. E em fatos de rolar cabeças, sempre rolam cabeças. Mas aí eu pergunto, será que vai ser a de Boris Casoy, um dos jornalistas mais conhecidos do Brasil? Mas o pescoço do trabalhador anônimo responsável pelo áudio certamente corre perigo – se não já tiver sido cortado. E esse fato previsível é mais uma demonstração preconceituosa da parte de Boris, que é apenas um representante de um conjunto de homens poderosos que nunca pagam pelos crimes que cometem, mas ao contrário, fazem recair sobre um outro conjunto de pessoas menos empoderado a capa da criminalização. Qualquer semelhança com a realidade atual dos políticos do DF e o episódio do massacre à população manifestante feito pela PM não é mera coincidência.

..Sabe... Eu também queria ser um gari. Mas não exatamente o gari que limpa a sujeira das ruas, mas um gari que limpasse as toneladas de lixo (des)informativo produzido por uma mídia como a que temos no nosso país.




* * * * *


Movimento Fora Boris Casoy

Olha só a que ponto chegou o caso: eu fui entrar no youtube hoje para pegar os vídeos e postar aqui no texto, digitei apenas youtube.com, e olha só como está a página inicial! Eu nem cheguei a fazer a pesquisa! Já existem dezenas de links para o vídeo, e só um deles que eu vi, ultrapassava as 800000 exibições!

Mandem emails para a Band pedindo que o preconceituoso, o discriminador, para que Boris Casoy suma das nossas Tevês. Acho que não dá pra ficar calado, calada diante dessa situação que é muito mais grave do que a mídia nos quis fazer parecer.

Os vídeos pra quem ainda não viu:




Olhem só a página inicial do youtube quando eu ainda nem tinha feito a pesquisa:




9 comentários:

Reinaldo Ricarte disse...

..Facista, sua história sempre foi assim: Delator da ditadura, caçador de comunistas pelo "ccc", acessor de impresa do Maluf!

também senti nojo vendo esse vídeo!

Diego disse...

égua...essa foi cabulosa!!!

ortegal disse...

Atualizando:
em www.siemaco.com.br que é o site do sindicato dos garis de sp, tem um texto bastante interessante, e agora tem também uma carta de repúdio que foi protocolada lá na Band, entregue pelo diretor do sindicato. Ele possivelmente será processado mesmo.
Acessem e vamos discutir!

cuca disse...

Lamentável e asqueroso! Boicote à Band JÁ!!!

"O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo (Siemaco), José Moacyr Malvino Pereira, afirmou que irá entrar com uma ação civil pública contra o jornalista Boris Casoy, por sua declaração sobre o trabalho dos garis no Jornal da Band. “Vamos entrar com uma ação civil pública para que ele se retrate na Justiça. Já assinei a procuração”, declarou o presidente da entidade."

Desculpinha é o cacete. Direito e resposta e retratação já!

ortegal disse...

Entidades entram com três ações contra Boris Casoy e Band

Da Redação

O Sindicato dos Trabalhadores de Empresa de Prestação de Serviço de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo (Siemaco) e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Serviços, Asseio e Conservação Limpeza Urbana, Ambiental e Áreas Verdes (Fenascom) entraram com três ações contra o jornalista Boris Casoy, sendo uma delas criminal. Em duas ações, a Band também é citada.

Contra jornalista e emissora, as entidades ingressaram com ações de reparação civil em nome dos dois garis, Francisco Gabriel e José Domingos de Melo, que após desejarem feliz ano novo ao final de uma reportagem, motivaram a declaração de Boris. A outra ação contra a empresa e o jornalista é de indenização por danos morais em favor de toda a categoria. A terceira ação, essa somente contra o apresentador, é por crime de preconceito. O valor do ressarcimento não foi estipulado pelo advogado, que deixou a decisão ao juiz que analisará o caso.

“A Fenascom já entrou com uma ação de indenização em prol dos mais de 350 mil trabalhadores que foram ofendidos. Agora vamos propor a ação criminal e de reparação civil aos dois garis”, explicou Francisco Larocca, advogado que cuida do caso.

No dia 31/12, em um vazamento de áudio durante o jornal, Boris disse que os garis apresentados em uma reportagem estavam “no mais baixo na escala de trabalho”. No dia seguinte o apresentador pediu desculpas ao vivo, mas o caso ganhou repercussão nacional.
Sobre a declaração do jornalista, Larocca diz que nunca viu um fato parecido. “De uma pessoa renomada e conhecida no meio jornalístico, é a primeira vez que vejo. Essa classe é bem reconhecida pela sociedade pelo serviço que presta, por isso nunca vimos uma ofensa assim”, declarou.

ortegal disse...

ABAIXO ASSINADO PELA DEMISSÃO DE BORIS CASOY

http://www.abaixoassinado.org/assinaturas/abaixoassinado/5459/1

assine também!

cuca disse...

Faz um post novo para inaugurar o visual do Carta! Ficou bonitão :D

samuel disse...

Além de não saber falar,esse imbecil fala em escala de trabalho como se entendesse de alguma coisa.
Gostaria de saber como ele fez pra valorar isso!
Baixa escala são as palavras proferidas pela boquinha murcha dele.
Muito baixa escala.

samuel disse...

Era do comando de caça aos comunistas,na década de 60/70,foi um dos invasores do teatro no qual estava sendo representada a obra 'roda viva', do chico buarque.
Odeio esse cara!

 
Free counter and web stats