sábado, 31 de julho de 2010

Ministério Público quer fim da propaganda de obras

Eles eram a nova tendência, o que havia de fashion na cidade. Chegaram timidamente, mas hoje tomam conta de todo o DF. Quando percebi a presença de um deles a primeira vez, imediatamente também percebi a carniça no ar: o vírus arrudista estava ali presente, mas numa nova roupagem. Dessa vez foi uma roupagem alaranjada que tomou conta das ruas do Distrito Federal.


'Laranja' como o novo GDF. Essa é a nova tendência da estação em Brasília. O governador tapa-buraco gostou da moda do antigo mandatário, Roriz Segundo, ou melhor, Arruda. “Eu quero um bauuldi naranja... cheím de tinta naranja, que é pra pintá essa Bras-ilha com a cor que representa o meu mandato”, diria Rogério Rosso encarnado e representando Roriz Terceiro.

Muda tudo no DF: a famigerada “Linha Verde”, batizada popularmente também como “Marginal Arruda”, agora é a “Nova EPTG”. A invenção de despachar no 'buritinga' agora é só história pra contar, e uma obra superfaturada de destruição das antigas instalações de um local destinado ao lazer da população taguatinguense, para a implementação da sede do governo numa obra mágica, capaz de fazer desaparecer uma parte do pobre salário do cidadão trabalhador, e fazer reaparecer no bolso dos empreiteiros sanguessugas, agora transformado em cifras milionárias. Aos poucos, vemos a cidade mudar de cor: assim como as árvores do cerrado vão cedendo lugar às de concreto e à ditadura do piche, e assim como o verde das folhagens esverdeadas vai perdendo espaço para as montanhas de barro e para as nuvens de poeira alaranjada, o mesmo processo se dá nas faixadas e placas-outdoors. Arruda, Paulo Octávio e sua turma faziam dez propagandas para cada metro de obra.

E quando digo propaganda, não me refiro apenas aos tradicionais boletins marqueteiros do GDF diariamente exibidos no horário nobre de vários canais. Eu falo de estratégias maiores. Falo de alguém que erigiu propagandas tão grandes, tão fortes, que se chegou ao ponto de Arruda e sua quadrilha cairem e as propagandas permanecerem aí firmes e fortes. Parabenizo o atual governador por seu árduo trabalho, mas lamento seu fracasso nessa missão de extinguir a praga verde que se instalou em todo lugar que a vista alcança. Nem mesmo sua praga laranja tem sido capaz. Foram inúmeros outdoors novos pela cidade, mas até hoje a praga verde ainda está por aí resistindo. O coitado mandou arrumar o layout dos sites do governo na internet, mas... pfff.. deem uma olhadinha pra ver que fracasso. Parece uma ou duas laranjas numa cesta de limões. Reparem que na foto da placa-outdoor, o novo governo pintou quase tudo de laranja, mudou o slogan e, com os demais símbolos que não conseguiu repintar, aplicou uma ideia brilhante! Simplesmente reduziu tudo a cinzas, quer dizer, preto e cinza.E não é só por isso que Arruda deve estar um pimentão verde de raiva: logo agora que o piche e o concreto de Arruda e PO começaram a secar e dar um gostinho aos motorizados da cidade, logo agora que eles iriam colher as arrudas, digo, os louros de suas empreitadas, o tapa-buracos chegou e pegou toda a glória... É justamente em tons laranjas que se diz pelas ruas que as “obras estão concluídas”. E logo em baixo, a nova balela: “um novo tempo”.


Mas o fato que me levou a escrever sobre o assunto foi a recente e afortunada ação do Ministério Público, que carcou o novo governador, obrigando-o a retirar em 48 horas todas as suas plaquinhas informativas mal intencionadas, descortinando o veneno marqueteiro que há por trás delas. Eu não estou na cidade pra ver, mas quando chegar, vou fazer meu passeio pra ver de novo a diferença de não ter um pop-up real pulando na minha cara o tempo inteiro ao andar pela cidade.

Um comentário:

cuca disse...

rapaz, na época que eu dava aula em são sebastião, a coisa mais difícil era não ver um cartazinho do Rogério Ulisses. Qualquer buraquinho tampado no chão já vinha com o lembrete "obra de Rogério Ulisses". É um oportunismo escancarado e sujo. Devemos estar sempre alerta pra abrir os olhos de quem, sem quere, consume essa propaganda nada subliminar.

 
Free counter and web stats