quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O futuro do seu filho

O meu corpo estava engarrafado, mas minha mente não. Vi esse outdoor e logo pensei, vai dar assunto lá pro Carta. Olhem só essa propaganda. Clicando na imagem ela fica melhor de se ver.



“O futuro do seu filho começa aqui”. Vamos lá. Primeiro de tudo, eu pergunto: então o meu filho ainda não tem futuro enquanto ele não estiver aí?


Mas agradeço por darem ao futuro do meu filho a chance de ‘começar’, pois, pelo visto, ele ainda não tinha tido essa chance apenas vivendo, crescendo, ou estando em qualquer outro lugar que não aí. Mas ainda quero perguntar uma coisa: Se aí é uma escola que cuida do futuro, onde é que eu ponho ele pra cuidar do presente? Mas que idiotice a minha... esqueci que o presente é algo sem importância, sem glamour... importante mesmo é o futuro, e assim caminhamos como cavalos correndo atrás de uma isca de cenoura que nunca se alcança, como nos desenhos.

Então quer dizer se o meu bebê for homem, o que começa aí é o futuro de um executivo mirim, certo? Hum.. parece interessante.


Mas... e se, em vez de um filho, eu tiver uma filha!?




Puts!!

6 comentários:

Bianca Damacena disse...

Ortegal!! Muito engraçadinho o seu tópico. Mas é "engraçadinho" de elogio, mesmo rsrs
Explicando: a gente acha tão banal passar pelos outdoors da vida, sem prestar atenção, só registrando inconscientemente o que eles mandam a gente fazer e daí vem você trazer ao Carta um desses que miram bem na nossa cara!

É incrível como essas propagandas se superam a cada dia, né? Tudo é alvo de consumo; até escola para pessoinhas que deveriam estar em casa dormindo ou tomando mamadeira... e detalhe, é lá que elas se transformarão (FUTURO) em pessoas dignas... Mas isso só para aqueles casais que se matam de trabalhar, não têm tempo nem para criar os próprios filhos e ainda por cima tê dinheiro pra caramba...
Quem não tem, continua sem futuro digno...

Abraço, Ortegal...

cuca disse...

Chamo atenção para as imagens também: duas crianças cozinhando (que se brincar são duas meninas), um garoto com celular e roupa de casamento e um cagando e lendo jornal. Crianças em situações "adultas", mas banais. E, independente de estudarem nessa escola ou não, elas terão esse futuro aí das fotos de um jeito ou de outro, não precisando mesmo de um "futuro" dado pela instituição.

Quanto mais o tempo passa mais acho que isso é uma tendência nossa, de achar que as coisas sempre estão para acontecer, esquecendo um pouco de olhar para o presente e sentir-se nele, vivendo. E isso pode acontecer principalmente com as crianças, que são consideradas humanos incompletos, em processo de formação (que pra mim tá mais em processo de deformação, pq toda a pureza e sinceridade são manchados pelo sistema de valores e regras), sendo alvo dos anseios dos pais, que veem em seus filhos as possibilidade de realização dos seus desejos frustrados.

Então, nada melhor que um lugar que ofereça um futuro para seu filho (é, o filho mesmo, pq a linguistica machista grita mais alto aí!!!), pois enquanto elas brincam e descobrem o mundo demonstram claramente que não tem uma vida de verdade, não tem futuro. Vivem só uma fase sem importância.

Adelyany disse...

Ainda bem que tem gente que se indigna com isso!

ortegal disse...

Kamilla, quando eu falei de 'filha' no final, não foi nem levando pra essa questão da linguagem masculina do português, pq senão o pano pra manga ia ficar ainda maior. Eu falei filha foi justamente pelo que vc comentou no início. É claro que aqueles dois bebês na penela e segurando colher são meninas! Afinal, assim como o futuro do seu menino é ser um executivo em miniatura, o da sua menina é ser cozinheira. Nada menos esperado.

Marcelo Alves disse...

Poxa, é realmente muito séria essa questão. As crianças modernas se preparam a cada dia mais, e cada dia mais cedo também, para o mercado de trabalho que não exige tanto assim. O mercado não exige nada, eu acho, exige o q pode exigir, essa que é a verdade.

Ou seja, as pessoas que acostumam o mercado errado, acredito eu. Elas se forçam de uma maneira que elas mesmas poderiam controlar, se fossem unidas. Mas claro, alguns gananciosos, sempre vão querer ocupar todas as horas existentes dos seus dias, com a finalidade de enriquecer, e fazem o mesmo com os próprios filhos. Aula de judô, karatê, música, xadrez, reforço de matemática, português, natação, etc. Esses são os mesmos que querem exigir (só pq eles fizeram isso) q todos façam a mesma coisa,desejem as mesmas coisas, e se esforcem da mesma forma "já que ele fez também". Considerando que o mundo de hoje é de títulos, é lógico que as empresas exploradoras vão preferir o otário que vai se matar por mais dinheiro do que o cara que só quer o suficiente. Os desesperados por dinheiro impelem a todos a serem assim também. Sem querer grana pode perceber que vai demorar pra chegar a "algum lugar" (pra onde que eu queria ir mesmo???).

Comigo mesmo ja vi isso acontecendo. Era uma situação de prova, e eu não estava estudando, uma cidadã ficou me enchendo dizendo que eu ia bombar. O acontecido: Ela bombou e eu passei com quase 10 hehehehehehehe

Marcelo Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Free counter and web stats